Por Esmael Morais

Elio Gaspari fez a pergunta de R$ 1,2 milhões: “Cadê o Fabrício Queiroz?”

O jornalista e colunista da Folha de S. Paulo fez a pergunta que todos estão ansiosos pela resposta, menos o clã Bolsonaro, lógico. “Cadê o Fabrício Queiroz?” “O suboficial Fabrício Queiroz, da PM do

Publicado em 16/12/2018

O jornalista e colunista da Folha de S. Paulo fez a pergunta que todos estão ansiosos pela resposta, menos o clã Bolsonaro, lógico. “Cadê o Fabrício Queiroz?”

“O suboficial Fabrício Queiroz, da PM do Rio, amigo do presidente, motorista, segurança e assessor de Flávio, movimentou R$ 1,2 milhão em 12 meses. Fez 176 saques (cinco num só dia) e recebeu 59 depósitos, todos em dinheiro vivo.”

“Sete funcionários que estavam ou passaram pelos gabinetes do deputado estadual Flávio e de seu pai fizeram depósitos na sua conta. Dois eram parentes de Queiroz. Outro era um tenente-coronel PM que trabalhou por 18 meses com Flávio e durante esse período viveu 248 dias em Portugal.” Diz o texto publicado na edição de hoje do periódico paulistano.

O questionamento de um dos decanos do jornalismo brasileiro vai compondo um caldo de cultura forte. Pesado para um governo que ainda nem começou.

Já estamos, portanto, em vias de termos um governo militar. Pelas vias institucionais. Quem diria…

Com informações da Folha