Por Esmael Morais

Defesa de Battisti recorre ao STF contra prisão decretada por Fux

Publicado em 14/12/2018


A defesa de Cesare Battisti recorreu da decisão do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), que na quinta-feira (14) determinou a prisão preventiva do ativista político italiano, medida que abre caminho para que ele possa ser extraditado para a Itália.

Até o momento, a Polícia Federal (PF) ainda não cumpriu a ordem. Battisti não foi localizado em seu endereço mais recente, na cidade litorânea de Cananeia, em São Paulo.

Os advogados Igor Tamasaukas e Otávio Maziero pediram que Fux reconsidere a ordem de prisão ou ao menos a suspenda até que o plenário do Supremo julgue Battisti pode ser extraditado ou não.

A defesa alega que já se passaram mais de cinco anos desde a decisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que impediu a extradição do ativista, consolidando o direito de que ele permaneça no país. Os advogados argumentam ainda que ele constituiu família e tem um filho brasileiro, motivo pelo qual não poderia ser extraditado.

Battisti foi condenado à prisão perpétua num nebuloso processo contra os ativistas do grupo Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), ainda nos 70 na Itália. Ele foi acusado de cometer quatro assassinatos em ações urbanas de guerrilha.

*Com informações da Agência Brasil