Contag exige punição para os assassinos dos militantes do MST na Paraíba

Publicado em 9 dezembro, 2018
Compartilhe agora!


A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), que reúne os sindicatos de trabalhadores rurais do país, repudiou o brutal assassinato das lideranças do MST, José Bernardo da Silva e Rodrigo Celestino, ocorrido na noite de sábado (8), por um grupo de homens fortemente armado que invadiu o acampamento Dom José Maria Pires, em Alhandra na Paraíba.

A nota da entidade exige “que a Justiça puna os assassinos dos dois trabalhadores rurais” e denuncia “a criminalização e repressão aos movimentos populares”. Confira a seguir a íntegra da nota da Contag.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (CONTAG) se solidariza com os familiares e com todos(as) do Movimento Sem Terra (MST) pelo brutal assassinato dos militantes, José Bernardo da Silva e Rodrigo Celestino, mortos na noite de sábado (08), por um grupo fortemente armado que invadiu e atirou contra o acampamento Dom José Maria Pires, em Alhandra na Paraíba.

Em apoio aos companheiros(as) do MST, a CONTAG exige que a Justiça puna os assassinos dos dois trabalhadores. E aproveita para denunciar este e outros atos que evidenciam a criminalização e repressão aos movimentos populares, através de ações covardes que têm como objetivos: amedrontar, desmobilizar e neutralizar as reivindicações da classe trabalhadora do Brasil.

Neste tempo de perseguições aos movimentos sociais e de retrocessos de direitos básicos, a CONTAG reafirma seu compromisso histórico pela construção de um Brasil com reforma agrária, fortalecimento da agricultura familiar, solidariedade e livre de todas as formas de violência.

Unidade, luta e resistência! Avante, companheiros e companheiras do MST!

“Os poderosos podem matar uma, duas ou três rosas, mas jamais conseguirão deter a primavera inteira”. (Che Guevara)

Direção da CONTAG

*Com informações da Assessoria da Contag

Compartilhe agora!