Por Esmael Morais

“Bolsonaro não tem projeto para o país”, afirma Luciano Huk

Em entrevista concedida ao jornal O Estado de São Paulo, publicada neste domingo (9), o apresentador e empresário Luciano Huck diz não enxergar nas propostas do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), “um projeto de País”. Embora afirme que Bolsonaro “não enganou ninguém” durante a eleição e defenda um voto de confiança no futuro presidente, Huck cobra um plano de redução da desigualdade para o País “não ficar andando de lado para sempre”. Sobre a agenda social do futuro governo, Huk

Publicado em 09/12/2018


Em entrevista concedida ao jornal O Estado de São Paulo, publicada neste domingo (9), o apresentador e empresário Luciano Huck diz não enxergar nas propostas do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), “um projeto de País”. Embora afirme que Bolsonaro “não enganou ninguém” durante a eleição e defenda um voto de confiança no futuro presidente, Huck cobra um plano de redução da desigualdade para o País “não ficar andando de lado para sempre”.

Sobre a agenda social do futuro governo, Huk demonstrou não acreditar numa política eficiente e focada no combate a desigualdade.”Precisa de uma agenda eficiente por um lado, mas ela tem que ser afetiva. Se você não tiver uma agenda social muito focada, com prioridades claras, o País vai continuar sendo desigual. A redução de desigualdade é um problema enorme e de solução complexa. Precisa ser prioridade, mas acho que não vai ser nesse caso”.

Na entrevista, disse também temer retrocessos na Educação, que “avançou nos últimos anos 20 anos”, segundo ele. “O foco é na qualidade” e não na pauta “escola sem partido”, declarou.

Luciano Huk admitiu ainda que não tem mais como sair da política, onde entrou quando passou a ser cotado como um potencial “outsider” na disputa presidencial deste ano. Após muitas especulações, ele desistiu de concorrer.

O apresentador declarou que participa de conversas e articulações para a formação de um nova força política que agregue as “forças de centro” e apresente uma agenda fora da atual polarização em curso no país.

*Com informações do Estadão Conteúdo