Bolsonaro não convida Queiroz para a posse. Pode isso?

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) não convidou para a cerimônia de posse Fabrício Queiroz, pivô do Bolsogate, que foi flagrado pelo Coaf em movimentação atípica de R$ 1,2 milhão.

LEIA TAMBÉM
Requião propõe recompensa para quem encontrar Queiroz

De acordo com a Agência Brasil, cerca de 140 nomes estão na lista de convidados pessoais do capitão reformado do Exército para a festa de 1º de janeiro. Dentre os quais estão amigos de pescaria, mas chamou a atenção a ausência de Queiroz.

Além da mãe, Olinda Bolsonaro, de 89 anos, Renato, único irmão do presidente eleito, filhos, noras, cunhados, netos e sobrinhos.

Também estão na lista os pastores evangélicos Silas Malafaia, Valdemiro Santiago, fundador da Igreja Mundial do Poder de Deus e presidente da Igreja Batista Atitude Central da Barra, pastor Josué Valandro, frequentada pela futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro. O fundador da Igreja Universal do Reino de Deus e proprietário da TV Record, bispo Edir Macedo, também está na lista.

Do ponto de vista da representação estrangeira, Bolsonaro não empolgou Donald Trump (EUA) e Pedro Sánchez (Espanha). Nicolás Maduro (Venezuela) e Miguel Díaz-Canel (Cuba), de ofício, não comparecerão à posse do homólogo brasileiro por motivos óbvios.

Comentários encerrados.