Por Esmael Morais

Bolsonaro não convida para sua posse Venezuela, China, Cuba, Rússia e árabes

Publicado em 16/12/2018

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) pode transformar o Brasil em uma nação mais isolada que a Coreia do Norte.

O capitão reformado do Exército confirmou neste domingo (16) que não chamou para sua posse, no dia 1º de janeiro, governos que tinham afinidades com o PT de Lula e Dilma.

LEIA TAMBÉM
Requião prevê “curta duração” para o governo Bolsonaro; assista

“Naturalmente, regimes que violam as liberdades de seus povos e atuam abertamente contra o futuro governo do Brasil por afinidade ideológica com o grupo derrotado nas eleições, não estarão na posse presidencial em 2019. Defendemos e respeitamos verdadeiramente a democracia”, escreveu no Twitter.

Pela lógica da extrema direita, não comparecerão para a cerimônia de posse as representações de Venezuela, China, Cuba, Rússia e maioria dos países árabes.