Ato Internacional Lula Livre em 10 de dezembro

Foto: Juliana Adriano | MST

Será realizado na próxima segunda-feira, 10 de dezembro, o Ato Internacional Lula Livre no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

Nesta data, o Comitê Nacional Lula Livre, junto aos movimentos da Frente Brasil Popular, que conta com mais de 80 organizações, iniciam a Jornada Nacional Lula Livre, com ações em vários lugares do país.

Dia 10 de dezembro marcará a passagem de 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, lançada pela ONU em 1948.

LEIA TAMBÉM: Nos EUA, Haddad lança ‘Internacional Progressista’ em defesa da democracia e por Lula Livre

A Declaração tem a premissa de preservar liberdades individuais e a convivência pacífica entre os povos; hoje sob ataque diante da escalada do neofascismo.

A iniciativa pretende ainda lançar ainda mais luz sobre a situação de Lula, ampliando o alcance da denúncia contra as violações aos ex-presidente no Brasil e no mundo.

Para a presidenta do PT Gleisi Hoffmann, a defesa da democracia passa necessariamente pela defesa de Lula.

“A liberdade de Lula está ligada à defesa da democracia, por isso este seminário e o ato Lula Livre são importantes para fortalecer nossa luta por Lula e pelos direitos do povo brasileiro”, diz.

Os militantes que compõe a resistência contra os ataques sistemáticos ao ex-presidente devem comparecer em peso.

Também participam lideranças políticas nacionais e internacionais, movimentos sociais, artistas, intelectuais.

Veja a lista de conferencistas confirmados:

  • Celso Amorim, presidente do Comitê de Solidariedade Internacional em Defesa de Lula e da Democracia no Brasil, ex-ministro das Relações Exteriores;
  • Dilma Rousseff, ex-presidenta da República Federativa do Brasil;
  • Giacomo Filibeck, secretário geral do Partido Socialista Europeu (PES);
  • Javier Miranda, presidente da Frente Ampla (Uruguai);
  • João Pimenta, euro-deputado pelo Partido Comunista (Portugal);
  • Jorge Taiana, deputado do Parlasul e ex-chanceler da Argentina;
  • Maite Mola, vice-presidenta do Partido da Esquerda Europeia (PIE);
  • Txema Guijarro, secretário-geral do Grupo Parlamentar do Podemos (Espanha).

Comentários encerrados.