Por Esmael Morais

Apagão no Mais Médicos: três mil deram o cano na população

Governo golpista de Temer e o futuro presidente Bolsonaro haviam anunciado o preenchimento de todas as vagas do programa Mais Médicos após saída dos cubanos, fato que não se confirmou. O prazo para que os médicos se apresentassem nos locais de trabalho terminou nesta sexta-feira (15). 3 mil médicos brasileiros que se inscreveram no programa ainda não se apresentaram nos municípios para os quais foram designados. A situação pode ficar ainda mais grave caso os

Publicado em 14/12/2018


Governo golpista de Temer e o futuro presidente Bolsonaro haviam anunciado o preenchimento de todas as vagas do programa Mais Médicos após saída dos cubanos, fato que não se confirmou. O prazo para que os médicos se apresentassem nos locais de trabalho terminou nesta sexta-feira (15). 3 mil médicos brasileiros que se inscreveram no programa ainda não se apresentaram nos municípios para os quais foram designados.

A situação pode ficar ainda mais grave caso os outros 4 mil médicos brasileiros que já se apresentaram no trabalho deixem os cargos a partir de março do ano que vem, quando começam as residências médicas do país. Caso isso ocorra, o problema voltará praticamente à estaca zero já que a soma dos que desistiram com a dos que podem desistir está bem próximo do total de 8.517 vagas oferecidas.

O desmanche do Mais Médicos foi resultado direto das ameaças e bazófias de Jair Bolsonaro que, de forma irresponsável, provocou o rompimento do acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), organismo que intermediava a relação com o governo cubano.

*Com informações do site do PT e Agências