Votação de ‘escola sem partido’ é adiada após pressão de movimentos sociais


Em Brasília, a bancada governista da Câmara tentou, mais uma vez, votar o projeto de lei 7180/14, conhecido como “Escola Sem Partido”. A sessão desta quarta(8) acabou interrompida pela ação conjunta dos movimentos sociais organizados e parlamentares de esquerda contrários à proposta. O PL é uma das bandeiras de grupos extremistas da direita e do governo bolsonarista.

A votação foi adiada para a próxima semana. Após a vitória de Bolsonaro, grupos organizados da direita ampliaram a mobilização para aprovação do nefasto PL do movimento escola sem partido. Os parlamentares eleitos Alexandre Frota(PSL) e Kim Kataguiri (DEM) compareceram à sessão para apoiar os grupos favoráveis ao projeto.

Comentários encerrados.