URGENTE: Bolsonaro reconhece derrota na reforma da previdência

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) reconheceu derrota ao não conseguir votar reforma da previdência este ano.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro desidrata Moro, que perde o CADE

Bolsonaro havia se unido a Michel Temer na semana passada para votar mudanças ainda em 2018, mas hoje o ministro extraordinário da equipe de transição, Onyx Lorenzoni, jogou a toalha e disse que o fim das aposentadorias ficou para 2019.

Mais cedo, o presidente eleito também tinha reconhecido a dificuldade de aprovar a reforma da previdência no Congresso.

“Ele [Paulo Guedes] está achando que dificilmente aprova alguma coisa este ano”, afirmou Bolsonaro. “Não é esta a reforma que eu quero”, despistou o presidente eleito, confirmando que vai tomar café com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para conversar sobre o assunto. Também informou que vai “apertar a mão” dos colegas do Congresso Nacional.

Sem chance de votar a reforma da previdência que põe fim à aposentadoria, Bolsonaro estuda para este ano projetos ‘infraconstitucionais’ — meia sola — que não dependem de maioria qualificada de 308 votos.

“A tendência é que fiquem para o ano que vem”, afirmou o realista Onyx.

Comentários encerrados.