Raquel Dodge tenta manter o auxílio moradia para o MP

Foto de Michael Melo/Metrópoles

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, recorreu ao Supremo Tribunal Federal na tentativa de manter o auxílio moradia para o Ministério Público.

Ela usou argumento processual, ou seja, não discute o mérito da questão, de que o auxílio é uma vergonha para o poder judiciário como um todo.

LEIA TAMBÉM: STF revoga liminar que garante auxílio-moradia para juízes

Na segunda-feira (26), o ministro Luiz Fux STF revogou a liminar que autorizava o pagamento de auxílio-moradia para a magistratura, Ministério Público, Defensoria Pública e tribunais de contras.

A decisão veio no mesmo dia em que o ilegítimo Michel Temer (MDB) sancionou o reajuste em 16,38% para o Judiciário.

A barganha foi clara e vergonhosa.

Mas para Raquel Dodge não basta. Ela quer o aumento para o MP sem perder a “boquinha” do auxílio moradia, que é mais do que ganha a maioria das famílias do país.

LEIA TAMBÉM: Farra do auxílio-moradia para juízes custou mais que R$ 4 bilhões, diz Folha

Comentários encerrados.