Posse de Jair Bolsonaro poderá ter culto ecumênico

Pela primeira vez na história, a cerimônia de posse do presidente da República, em 1º de janeiro de 2019, poderá ter um culto ecumênico. O pedido foi feito por interlocutores do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) aos organizadores da solenidade.

Se realmente acontecer, a Catedral de Brasília, na Esplanada dos Ministérios, é o local apontado para abrigar a cerimônia religiosa, que contará com pelo menos um padre, um pastor e um rabino.

A influência da religião no futuro governo Bolsonaro tende a ser bastante grande, pois logo após a confirmação da vitória de Bolsonaro no segundo turno o senador Magno Malta (PR-ES), pastor evangélico da igreja Batista e integrante da banda gospel Tempero do Mundo, fez uma oração de agradecimento.

Ao que tudo indica, sob o governo Bolsonaro possivelmente o Estado brasileiro não será mais laico e as religiões afro serão discriminadas.

Com informações da Agencia Brasil

Comentários encerrados.