Paulo Guedes não passa de um ‘cavalo batizado’ de Jair Bolsonaro

Publicado em 10 novembro, 2018
Compartilhe agora!

O presidente do Senado e do Congresso Nacional, Eunício Oliveira (MDB-CE), não tem dúvidas que Paulo Guedes, futuro ministro da Fazenda, não passa de um ‘cavalo batizado’ do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

LEIA TAMBÉM

Pimenta no rabo do trabalhador é refresco, segundo o Estadão

O congressista relatou conversa ríspida que teve com o homem forte de Jair Bolsonaro para a economia, que, pelo teor da conversa, é muito mais ‘chucro’ que uma velha mula.

Na semana em que Guedes falou dar uma “prensa” no Congresso para aprovar a reforma da previdência — o fim da aposentadoria –, também houve ameaças e sinais de ignorância crônica.

“Vocês não aprovam orçamento, orçamento eu não quero que aprove não. Importante é aprovar reforma da previdência”, ordenou o futuro ministro da Fazenda ao presidente do Senado que esclareceu: “Mas não é o senhor querer, a Constituição diz que só podemos sair em recesso após a aprovação.”

“Não, eu só quero Reforma da Previdência. Se vocês não fizerem vou culpar esse governo, vou culpar esse Congresso e o PT volta, e vocês vão ser responsáveis pela volta do PT”, ameaçou de volta Paulo Guedes, segundo o presidente do Senado.

Eunício de Oliveira, com paciência de Jó, explicou novamente para o ‘cavalo batizado’ de Bolsonaro que votação de Proposta de Emenda Constitucional — para a aprovação da reforma da previdência — só pode ser votada depois que o Executivo encerrar a intervenção federal no Rio.

O considerado o “Posto Ipiranga” do presidente eleito insistiu: ‘se vocês não aprovarem tudo aquilo que nós queremos esse ano o PT volta. Se aprovar a reforma o Brasil vai crescer a 6%, se não aprovar o Brasil não vai crescer, eu vou culpar vocês’.

Pela descrição do presidente do Senado, o futuro governo Bolsonaro vai sofrer muito no Congresso Nacional. Mais pela imbecilidade e truculência do que pela falta de uma maioria consistente.

Compartilhe agora!