Paulo Guedes indica Castello Branco para a Petrobras; modelo de reajuste nos combustíveis em xeque

O futuro ministro da Fazenda Paulo Guedes, por meio de nota, indicou que o economista Roberto Castello Branco será o próximo presidente da Petrobras.

LEIA TAMBÉM
O pecado capital de Sérgio Moro, segundo Gleisi Hoffmann

Portanto, Ivan Monteiro caiu e possivelmente o atual modelo de reajuste dos combustíveis, atrelado à cotação internacional do petróleo e à variação cambial, também poderão ser abandonados a partir de janeiro de 2019.

Castello Branco já foi diretor do Banco Central e da Vale, bem como conselheiro da Petrobras no governo Dilma Rousseff.

Leia a nota:

“O futuro Ministro da Economia, Paulo Guedes, recomendou ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, a indicação para a presidência da Petrobrás de Roberto Castello Branco, que aceitou o convite. Economista, com pós-doutorado pela Universidade de Chicago e extensa experiência no setores público e privado, Castello Branco já ocupou cargos de direção no Banco Central e na mineradora Vale, fez parte do Conselho de Administração da Petrobrás e desenvolveu projetos de pesquisa na área de petróleo e gás. Atualmente é diretor no Centro de Estudos em Crescimento e Desenvolvimento Econômico da Fundação Getúlio Vargas. O atual presidente da Petrobrás, Ivan Monteiro, permanece no comando da estatal até a nomeação do novo presidente.”

Comentários encerrados.