Onyx-Lorenzoni

Onyx Lorenzioni só confessou parte dos crimes eleitorais que cometeu

O deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), ministro da transição e futuro Chefe da Casa Civil de Bolsonaro (PSL), só confessou a metade da grana que recebeu como caixa 2 da JBS.

O nome de Lorenzoni aparece numa segunda lista, que foi entregue à PGR por delatores da JBS, onde consta que recebeu outros R$ 100 mil da empresa via caixa 2 em 2012.

Em entrevista ao jornalista André Machado, da Rádio Bandeirantes de Porto Alegre no ano passado, o deputado confessou ter obtido R$ 100 mil da empresa não declarados à Justiça Eleitoral nas eleições de 2014.

“Final da campanha, reta final, a gente cheio de dívidas com fornecedores, pessoas, eu usei o dinheiro. E a legislação brasileira não permite fazer a internalização desse recurso”, afirmou na entrevista o deputado gaúcho que foi relator do projeto das Dez Medidas de Contra a Corrupção, idealizado pelo Ministério Público Federal.

Mesmo tendo confessado ter praticado crime eleitoral, Onyx Lorenzoni obteve o perdão do juiz Sérgio Moro, que em entrevista coletiva afirmou sentir “grande admiração” pelo político, e considerou que ele “assumiu seus erros” e se desculpou.

Mas a pergunta que não quer calar é a seguinte: Moro vai perdoar também o caixa 2 que o deputado não confessou?

Em 2017, em uma palestra na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, Sérgio Moro afirmou que a prática de caixa 2 nas eleições é um “crime contra a democracia”.