Moro vai colocar amigo para comandar a PF

Rogério Galloro, atual diretor-geral da Polícia Federal (PF), não vai continuar no cargo no futuro governo de Jair Bolsonaro (PSL).

LEIA TAMBÉM:
Em depoimento, Lula rebate ponto a ponto as acusações falsas do MPF sobre sítio de Atibaia

O agora político oficial, Sérgio Moro, que assumirá a partir do ano que vem o Ministério da Justiça e da Segurança Pública, já está montando a “panelinha” que vai levar a Brasília.

O delegado Maurício Valeixo, superintendente da PF do Paraná, é o nome de Moro para assumir o posto de diretor-geral da PF.

Valeixo, que é amigo de muitos anos e de inteira confiança de Sérgio Moro, atuou na prisão do ex-presidente Lula, em abril.

Além de Valeixo, Moro vai levar junto com ele os superintendentes Luciano Flores, do Mato Grosso, e Erika Marena, de Sergipe. Os dois atuaram na Lava Jato em Curitiba.

Flores foi quem tomou o depoimento do ex-presidente Lula (PT) na condução coercitiva, em 2016.

Marena é tratada por policiais e advogados como “mãe” da Lava Jato porque conseguiu associar o doleiro Alberto Youssef ao esquema da Petrobras

Comentários encerrados.