Moro no superministério de Bolsonaro repercute no PT

Os petistas estão convencidos que o ex-presidente Lula e o PT foram perseguidos pelo juiz Sergio Moro porque ele queria ser ministro no futuro governo de Jair Bolsonaro (PSL). Nesse sentido, lideranças do partido utilizaram as redes sociais para se manifestarem sobre o assunto.

A senadora e presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann (PR), afirmou que que se o juiz “ajudou a eleger, vai ajudar a governar”.

Paulo Pimenta (RS), líder do PT na Câmara, acredita que Moro “impediu Lula de disputar a eleição para beneficiar Bolsonaro”.

Lindbergh Farias, senador pelo Rio de Janeiro, afirmou que Moro “atuava como militante, e não como magistrado”.

Rui Falcão, ex-presidente do PT e deputado eleito por São Paulo, disse que “a nomeação de Moro como superministro mostra que a Lava Jato tinha objetivos de poder de longo prazo”.

O deputado federal Paulo Teixeira (SP) pediu a anulação de condenação de Lula porque “as razões da prisão sem provas foram escancaradas”.

Comentários encerrados.