MBL estudantil quer dominar UNE e UBES após eleição de Bolsonaro

O Movimento Brasil Livre (MBL) prepara-se para mais uma batalha contra a esquerda visando controlar a União Nacional dos Estudantes (UNE), que representa os universitários, e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), organização da garotada do ensino básico.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro faz de conta que é simples, dizem especialistas

O MBL Estudantil pretende se tornar o braço político do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) nas duas entidades que foram criadas, ironicamente, durante a luta contra o fascismo das décadas de 30 e 40.

Atualmente, UNE e UBES estão sob a esfera de influência às juventudes ligadas ao PCdoB, PT, PDT, PSB, PSOL, PSTU e PSDB.

O MBL Estudantil estima que poderá dar uma guinada à direita nas histórias agremiações estudantis e ser hegemônico nas escolas e universidades brasileiras.

O diabo é que o MBL terá de convencer a massa estudantil da escola do pensamento único, o fim do Fies nas universidades, o ensino à distância na educação básica, o congelamento de investimentos na educação, enfim, que a pauta neoliberal de Bolsonaro é uma “boa” para a moçada.

Comentários encerrados.