Marina e Ciro articulam oposição democrática ao governo de Bolsonaro

De olho em 2022, Marina Silva (REDE) e Ciro Gomes (PDT), candidatos derrotados no primeiro turno das eleições presidenciais, articulam “oposição democrática” ao futuro governo de Jair Bolsonaro (PSL).

LEIA TAMBÉM:
Bolsonaro e Temer se unem pelo fim das aposentadorias; vem aí a reforma da previdência

Os dois ex-candidatos se opõem a intenção do Partido dos Trabalhadores de liderar a oposição ao governo Bolsonaro.

Após o segundo turno das eleições, o PT aclamou Fernando Haddad como porta-voz da oposição capaz de liderar uma frente que teria um papel maior do que o partido.

Pelo Twitter, Maria Silva informou nesta quarta-feira (7) que trocou ideias com Ciro sobre a construção de “uma oposição democrática”.

“Hoje recebi a visita do @cirogomes em Brasília. Trocamos ideias sobre o desafio de uma oposição democrática, que seja comprometida com o desenvolvimento sustentável, a defesa das instituições e do interesse nacional”, escreveu.

Comentários encerrados.