Deputados do Paraná temem ação da lava jato na ALEP

Deputados estaduais paranaenses estão com mau presságio por causa da prisão de 10 colegas ocorridas hoje (8) na ALERJ, no Rio, no âmbito da Operação Furna da Onça da Polícia Federal. Explica-se.

LEIA TAMBÉM
Gleisi denuncia “toma lá, dá cá” pela reforma da Previdência

O ex-governador Beto Richa (PSDB) sempre manteve uma suspeitíssima maioria na ALEP (Assembleia Legislativa do Paraná). Aprovou todos os pacotes de maldade com folga olímpica no legislativo estadual, apesar de protestos e massacres como aquele de 29 de abril.

Pois bem, agora no apagar das luzes de 2018 tem parlamentar dormindo a base de calmantes.

São várias frentes investigadas pelo Ministério Público — tais como educação (Quadro Negro), pedágio (Operação Anel da Integração) e Patrulha do Campo (Operação Rádio Patrulha, que levou o ex-governador tucano à prisão) — que deixam o Paraná com ‘jeitão’ do Rio.

A PF e o juiz Sérgio Moro, futuro ministro da Justiça, prometem não deixar um único suspeito de corrupção solto — ‘com exceção de Onyx Lorenzoni‘, completa o senador Roberto Requião (MDB-PR).

Comentários encerrados.