Conselho aprova educação a distância no ensino médio

O Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou nesta quinta-feira (8) a implantação do ensino a distância em parte do currículo do ensino médio brasileiro.

LEIA TAMBÉM:
Depois do reajuste para o Judiciário, Senado aprova corte em fundo para saúde e educação

De acordo com decisão, 20% do ensino médio será feito a distância no diurno e 30% no noturno. Na Educação de Jovens e Adultos (EJA) a parte que será feito a distância pode chegar até a 80%.

Para o educador Cesar Callegari, ex-membro do CNE, o texto aprovado abre espaço para a privatização da educação.

“Os acionistas de empresas educacionais devem estar em festa, porque abre um caminho enorme da educação a distância dentro da educação básica”, afirma Callegari.

A educação a distancia foi um dos temas debatidos nas últimas eleições presidenciais, o então candidato Jair Bolsonaro (PSL) defendeu o ensino a distância como forma de “baratear o ensino no Brasil” e  “combater o marxismo”.

Mas a verdade é que há investidores em educação entre os que farão parte do futuro governo, o economista Paulo Guedes, por exemplo, indicado de Bolsonaro para o Ministério da Economia, tem investimentos em pelo menos oito empresas de educação.

Bancada pelo governo Temer (MDB), a reforma do ensino médio aprovada em 2017 admitiu a possibilidade de que parte do ensino básico seja feito na modalidade a distância.


Com informações da Folha

Comentários encerrados.