Centrais intensificam mobilização para atos em defesa da Previdência no dia 22


As centrais sindicais – CUT, Força Sindical, CTB, Conlutas, Intersindical, UGT, Nova Central e CSB – estão intensificando a mobilização de suas bases para garantir a ampla participação dos trabalhadores nos atos em defesa da aposentadoria, contra a reforma da Previdência que o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), pretender implementar, adotando o chamado “modelo chileno” de Previdência de capitalização.

A reforma de Bolsonaro tende a ser pior do que a que o golpista e ilegítimo Michel Temer (MDB) não conseguiu aprovar por pressão da classe trabalhadora que fez a maior greve da história do país, em abril do ano passado e conseguiu barrar a aprovação do projeto de lei.

O governo de Bolsonaro/Paulo Guedes quer implementar o modelo de capitalização da previdência que levou os trabalhadores chilenos à pobreza extrema na velhice.

Os dirigentes e ativistas sindicais estão percorrendo as áreas fabris realizando panfletagem de materiais, diálogo nas ruas e praças com a população e assembleias nos locais de trabalho

Comentários encerrados.