Bolsonaro: Prefeitos estão ficando com os médicos cubanos

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) está perdendo da ‘guerra ideológica’ para a realidade dos municípios brasileiros.

LEIA TAMBÉM
Médico cubano vira secretário da Saúde no RS para driblar ‘Menos Médicos’ de Bolsonaro

Os prefeitos tem demitido médicos brasileiros para ficar com profissionais com cubanos, disse hoje (18) Bolsonaro em tom de denúncia.

“Não podemos admitir escravos cubanos no Brasil. Não podemos continuar alimentando a ditadura cubana. Se nós dermos o tratamento adequado, isso vai ser resolvido. E tem mais, tem prefeitura que mandou embora seu médico para pegar o cubano e quer ficar livre da responsabilidade”, atacou o presidente eleito em entrevista durante uma competição de jiu-jitsu no Rio.

Bolsonaro decidiu romper contrato com mais de 8 mil médicos cubanos e, com isso, adotar o ‘Menos Médicos’ para 60 milhões de brasileiros.

De acordo com órgãos de saúde, cerca de 1,6 mil municípios têm apenas um médico. Desses, 611 têm um profissional cubano e correm o risco de ficar sem nenhum.

Em Ponta Grossa (PR), por exemplo, onde Bolsonaro teve 74% dos votos, o município perderá 75% dos médicos que atendem nas unidades de saúde. De 80, restarão apenas 20.

Resumo da ópera: na política real, nos 5,7 mil municípios brasileiros, a birra ideológica de Bolsonaro com Cuba não tem nenhuma importância.

Comentários encerrados.