Por Esmael Morais

Bolsonaro foi ao STF em 2013 contra o Mais Médicos

Publicado em 14/11/2018

A bronca do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) com o programa Mais Médicos é antiga. Quando ele ainda era deputado federal do PP, protocolou uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a suspensão da medida provisória (MP) editada pela ex-presidente Dilma Rousseff (PT) que criou o programa.

LEIA TAMBÉM:
Após ameaças de Bolsonaro, Cuba vai se retirar do Mais Médicos

Na ação, protocolada em julho de 2013, Bolsonaro contestou a validade dos diplomas dos médicos cubanos e afirmou que o programa não havia sido amplamente discutido com os profissionais de saúde.

O governo de Cuba informou hoje (14) que deixará de fazer parte do programa Mais Médicos porque que as exigências feitas pelo governo eleito são “inaceitáveis” e “violam” acordos anteriores.

Atualmente, o programa Mais Médicos tem 18.240 profissionais – sendo 11 mil cubanos, segundo o governo do país caribenho – em 4.058 municípios, cobrindo 73% das cidades brasileiras.