Por Esmael Morais

Bolsonaro deixa Magno Malta no ‘sanhaço’

Publicado em 28/11/2018


O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), anunciou nesta quarta-feira (28) os nomes de Gustavo Henrique Canuto para o Ministério Desenvolvimento Regional e Marcelo Álvaro Antônio, deputado do PSL mineiro, para a pasta do Turismo. Além de Osmar Terra (MDB-RS) como futuro ministro da Cidadania, um cargo que era cobiçado pelo senador Magno Malta, antigo aliado de Bolsonaro no Congresso. Ao todo, dezenove nomes do primeiro escalão do governo foram confirmados.

No círculo próximo de Bolsonaro, a condição atual de Magno Malta é descrita com um jargão da caserna, o  “sanhaço”, o que traduzindo significa uma situação de desespero ou situação desesperadora. O histriônico senador  capixaba é visto com desconfiança pelos militares de alto coturno.

Durante a campanha, Magno rejeitou convite para ser vice do então candidato à Presidência. Preferiu tentar a reeleição para o Senado, mas foi derrotado nas urnas.