Bolsonaro afrouxa a tanga: governo ‘talvez não consiga’ acabar com aposentadorias

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), grilo falante do pai e do governo, afrouxou a tanga hoje (28) em relação ao fim das aposentadorias dos trabalhadores.

De acordo com o filho do presidente eleito Jair Bolsonaro, o governo “talvez não consiga” votos para aprovar a reforma da Previdência no Congresso.

LEIA TAMBÉM
O fim das aposentadorias está próximo

“Precisamos usar a votação maciça do Jair Bolsonaro e os canais de redes sociais, onde temos conexão direta com as pessoas, para dizer a verdade (sobre a importância da reforma da Previdência). Tentaremos fazer o melhor. Se não tivermos uma vitória, desculpem, mas fiz minha parte. Não mentirei a vocês. Nunca virei aqui para sorrir para vocês e dizer ‘nós faremos facilmente uma reforma da Previdência’. Não. Será difícil, será uma briga, talvez não consigamos fazer, mas faremos o nosso melhor” reconheceu Eduardo Bolsonaro durante discurso promovido pelo Brazil-US Business Council (Câmara Empresarial Brasil-Estados Unidos).

O ‘Coisinho’ — que é filho do ‘Coiso’ — defendeu o título de capitalização no lugar das aposentadorias dos trabalhadores, qual seja, o governo e as empresas deixariam de contribuir para a previdência. O beneficiário, se quiser receber a aposentadoria na velhice, terá que fazer a própria reserva.

O diabo é que num cenário de desemprego e de baixa da massa salarial, o trabalhador, se encontrar ocupação, terá de optar entre comer, pagar aluguel, se transportar e vestir, e guardar dinheiro para o futuro.

Evidentemente, este modelo de capitalização de Bolsonaro é a mais pura sacanagem contra a classe operária brasileira.

Comentários encerrados.