Após bate-boca, deputados encerram sessão sobre Escola Sem Partido

Foto: Mídia Ninja.

Entrou água no chope da turma da Escola Sem Partido, pois, nesta terça (13), a comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa o PL 7180/14 suspendeu a sessão sem votar a proposta.

LEIA TAMBÉM
“Na USP não entra escola sem partido”, garante reitor

Após intenso bate-boca, a barulhenta oposição obstruiu a reunião até que a sessão em plenário se iniciasse. A tática funcionou porque, regimentalmente, não pode haver deliberação em concorrência com a sessão plenária. Entretanto, a comissão especial pode retomar a pauta ao final do plenário.

A obstrução oposicionista foi liderada pela deputada Érika Kokay (PT-DF), que protestou contra a censura e a limitação de pessoas na reunião da comissão especial. A Câmara também proibiu a transmissão do evento pela internet, o que gerou nova confusão.

Além do estranhamento ideológico e provocações, o deputado Éder Mauro (PSD-PR) ameaçou manifestantes fazendo gesto de arma com as mãos. O parlamentar simulou que estava armado e apontou para os oponentes ao projeto.

O diabólico projeto Escola Sem Partido tramita na Câmara em caráter terminativo. Se aprovado, ele seguirá para votação no Senado.

O PL 7180/14 estipula o pensamento único na escola ao alterar a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) para que sejam proibidas disciplinas que tenham como parte de seu conteúdo questões de gênero ou que tratem sobre orientação sexual.

Assista ao vídeo:

Comentários encerrados.