84% dos eleitores de Bolsonaro acreditaram no ‘kit gay’

A disseminação das “fake news” foram decisivas para a vitória de Jair Bolsonaro (PSL) e de alguns de seus aliados nos estados. É o que aponta a pesquisa IDEIA Big Data/Avaaz, divulgada nesta quinta-feira (1°).

LEIA TAMBÉM: WhatsApp na fraude pró-Bolsonaro, revela Folha

Segundo a pesquisa, 83,7% dos eleitores de Bolsonaro acreditaram na que Fernando Haddad (PT) distribuiu o kit gay nas escolas quando era ministro da Educação. Por outro lado, somente 10% dos eleitores de Haddad acreditaram na história.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) chegou a proibir Bolsonaro de usar a informação falsa em sua campanha numa decisão do dia 14 de outubro. Mas o estrago já estava feito.

Outra notícia falsa usada por Bolsonaro foi a que atribuía a Haddad a defesa da prática do incesto e da pedofilia. 74,6% dos eleitores “do coiso” caíram nessa.

A pesquisa foi publicada pelo Portal Congresso em Foco e mostra outras notícias falsas; além do estrago que cada uma causou entre os eleitores da direita (ou da esquerda).

Com informações do Congresso em Foco. 

Comentários encerrados.