Por Esmael Morais

Tiroteio com 10 mortos nos EUA atinge Jair Bolsonaro

Publicado em 27/10/2018

Defensor do porte de armas no Brasil, o deputado Jair Bolsonaro (PSL) teve a candidatura alvejada pelo tiroteio na área de uma sinagoga em Pittsburgh, na Pensilvânia, EUA, que deixou 10 mortos e feridos na manhã deste sábado (27).

Na véspera da eleição, esse massacre de judeus revela a inconstância da proposta de armar as pessoas. O livre trânsito de armas de fogo permite carnificinas lá e, Deus me livre guarde, aqui no Brasil.

A proposta de Bolsonaro de distribuir fuzis aos brasileiros é a mesma que permite tiroteios e perdas humanas como a que ocorreu hoje nos EUA.

Como resposta para combater a violência com as armas de fogo, nos EUA, Donald Trump propõe mais violência, qual seja, a pena de morte.

Não seria mais inteligente restringir o porte de armas, a exemplo do Japão, cujos índices de homicídios é um dos baixos do mundo?

Bolsonaro quer cada brasileiro com uma arma. Fernando Haddad (PT) quer um livro na mão de cada cidadão. Pense nisso.