PSOL condena declarações autoritárias de Bolsonaro no JN

Publicado em 30 outubro, 2018


O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) divulgou nota nesta terça-feira (30) condenando as declarações do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) na noite de segunda-feira no Jornal Nacional da Rede Globo. A legenda de Boulos repudiou o discurso de “criminalização dos movimentos sociais e da esquerda” Leia a íntegra da nota do partido.

Nota da Executiva Nacional do PSOL sobre declarações de Jair Bolsonaro no Jornal Nacional

.

O presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou, na noite desta segunda-feira (29), em entrevista ao Jornal Nacional, que se referia à cúpula do PT e do PSOL quando afirmou que “marginais vermelhos” seriam banidos do Brasil em seu governo. “Foi um discurso inflamado, com a Avenida Paulista cheia. Logicamente, estava me referindo à cúpula do PT, do PSOL. O próprio Boulos havia dito que invadiria minha casa”, afirmou, em referência ao nosso candidato presidencial.

Bolsonaro demonstrou, mais uma vez, seu despreparo e total descompromisso com a democracia, sua histórica incapacidade de conviver com a diferença e, particularmente, com quem fará uma oposição firme e democrática ao seu governo. Criminaliza e trata como “marginais” a esquerda, os movimentos sociais e os dirigentes do PSOL. Não aceitaremos ataques ao PSOL, seus dirigentes e militantes. Tampouco aceitaremos as constantes ameaças ao companheiro Guilherme Boulos, candidato do partido na eleição presidencial desse ano.

Desde já, nos somaremos ativamente à resistência popular contra o projeto de Bolsonaro, que prevê privatizações do patrimônio público, reforma da previdência, perseguição a professores no exercício de suas funções, entre outros. Os 91 milhões de brasileiros e brasileiras que não votaram no presidente eleito merecem respeito. Como merecem respeito as organizações da sociedade civil, imprensa, movimentos sociais e partidos políticos. Bolsonaro terá que aprender a conviver com a vitalidade do povo brasileiro e seu legítimo direito à oposição.

.

30 de outubro de 2018
Executiva Nacional do PSOL