Por Esmael Morais

Movimento estudantil pede resistência pela educação e a democracia

Publicado em 29/10/2018

Após o resultado das eleições presidenciais, as entidades estudantis convocam os estudantes de todo o país a resistirem em defesa da educação e da democracia.

A União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) publicaram uma nota conjunta alertando para a gravidade do momento que nossa democracia vive após o resultado das urnas.

Para os estudantes, a eleição do candidato da extrema direita é um retrocesso no âmbito democrático, e também um perigo para as escolas e universidades.

“Não deixaremos tirarem o que é nosso, continuaremos lutando pela democracia e por uma educação de qualidade e para todos. É preciso fortalecer e defender o caráter gratuito das instituições públicas e a livre organização estudantil por meio das entidades estudantis”, diz a nota.

“O presente promete luta. Precisamos estar unidos e organizados para resistir”, finaliza.

Confira a nota na íntegra:

NOTA OFICIAL DA UNE, UBES E ANPG

A União Brasileira dos Estudantes Secundaristas, a União Nacional dos Estudantes, e a Associação Nacional de Pós Graduandos, entidades que sempre prezaram pela democracia e pelo direito do povo brasileiro e dos estudantes, entendem a gravidade do momento que nossa recente democracia vive com o resultado das urnas neste domingo.

Venceu o candidato que ameaça as universidades e escolas, os direitos sociais, a gratuidade de nossas instituições públicas, o investimento na educação e na ciência e a liberdade de organização. Venceu um projeto que enganou boa parte do povo brasileiro. Resultado produzido pela mentira espalhada nas redes sociais com uso de caixa 2, vomitando violência, ódio e, sobretudo, retirada de direitos. Tudo isso com o aval das instituições, como TSE e STF, que consideraram a eleição como “normal”, onde um jovem foi assassinado em carreata de Haddad por apoiadores de Bolsonaro.

Por isso convocamos os estudantes a se organizarem, não deixaremos tirarem o que é nosso, continuaremos lutando pela democracia e por uma educação de qualidade e para todos. Que organizemos Assembléias Gerais dos Estudantes em todas as universidades do Brasil. É preciso fortalecer e defender o caráter gratuito das instituições públicas e a livre organização estudantil por meio das entidades estudantis.

O presente promete luta. Precisamos estar unidos e organizados para resistir.

Pelos estudantes, pelo povo e pelo Brasil.

UNIÃO BRASILEIRA DOS ESTUDANTES SECUNDARISTAS
UNIÃO NACIONAL DOS ESTUDANTES
ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PÓS-GRADUANDOS

28 de Outubro de 2018