Moro apela à fake news para modificar resultado das urnas

A lava jato do juiz Sérgio Moro recorreu às fake news nas vésperas da eleição presidencial. O objetivo da liberação da delação de Antonio Palocci, a seis dias do 1º turno, é alterar a vontade do eleitor brasileiro.

Alvo da fake news de hoje, o PT informou que pedirá nas próximas horas a destituição de Moro da função de juiz federal.

Segundo a fake news de Moro, de cunho partidário, as campanhas vitoriosas de Dilma Rousseff, de 2010 e 2014, custaram R$ 1,4 bilhão e o ex-presidente Lula teria usado o pré-sal para beneficiar o PT.

Como de praxe em todas as delações, Palocci não apresentou nenhum prova do que disse à lava jato.

Moro afirmou hoje que não utilizará a delação na ação penal contra Lula, o que reforça o objetivo político do levantamento do sigilo na boca da urna.

“Observo que, apesar da juntada ora promovida, quando do julgamento considerarei apenas, em relação aos coacusados, o depoimento prestado por Antônio Palocci Filho sob contraditório na presente ação penal”, despachou o juiz.