Marielle Franco é destaque em campanha da Anistia Internacional

A Anistia Internacional está lançando sua maior campanha mundial pelos direitos humanos. O centro são as mulheres, as questões gênero e as ativistas dos direitos humanos.

A campanha se chama “Escreva por Direitos” (Write for Rights). Ela terá na vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), assassinada há sete meses, uma de suas ativistas de destaque.

“Sete meses após o assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes, é fundamental que continuemos firmes exigindo respostas, pressionando para que os verdadeiros responsáveis sejam identificados e levados à justiça. A história de vida de Marielle, dedicada à defesa de direitos humanos, agora se junta à história de mulheres de outros nove países que lutam incansavelmente por um mundo mais justo. Queremos que estas mulheres sejam apoiadas e que estes exemplos inspirem ainda mais as pessoas a lutar por direitos”, disse Jurema Werneck, diretora executiva da Anistia Internacional Brasil.

A maioria dos casos escolhidos pela entidade são de mulheres ativistas. Um deles é de uma comunidade africana em que as mulheres estão sendo expulsas de suas terras.

Também há casos da Ucrânia, Marrocos, Venezuela, África do Sul, Quirguistão, Irã, Índia e Vietnã. Com exceção de Marielle, as ativistas da campanha seguem atuando em seus países, várias em situação de risco.

A campanha irá mobilizar pessoas no mundo todo em apoio a estas ativistas, dando visibilidade aos casos e celebrando o papel destas mulheres que levantam suas vozes contra as injustiças e lideram processos de transformação em seus países.

Neste ano, a campanha durará cinco meses, iniciando oficialmente no dia 10 de outubro e terminando no dia 8 de março de 2019, Dia Internacional da Mulher.

O processo vai envolver apoiadores e apoiadoras da Anistia Internacional, profissionais da educação e grupos de ativismo na realização de atividades, que podem ser desde uma aula temática em uma escola até um evento público em uma praça ou café.

Os eventos serão registrados através da Plataforma Escreva por Direitos, onde é possível também ter mais detalhes de cada caso.

Com informações do Portal Justificando.