Depois de Le Pen, a vez de Trump ‘fugir’ de Bolsonaro

Depois da declaração de Marine Le Pen, líder da extrema-direita francesa, agora espera-se um pronunciamento de Donald Tump se “desligando” do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

LEIA TAMBÉM
Faltam 8% para a virada, comemora Haddad

Le Pen disse hoje (11) que Bolsonaro diz “coisas desagradáveis que são intransponíveis na França” e que não o vê como um representante desse espectro político [extrema-direita].

“Não vejo Bolsonaro como um candidato de extrema direita. Ele diz coisas extremamente desagradáveis que são intransponíveis na França. São culturas diferentes”, afirmou a líder francesa ao responder sobre o posicionamento do candidato à Presidência do Brasil sobre mulheres e homossexuais.

Por outro, Trump, presidente dos Estados Unidos, teria manifestado descontentamento com a recorrente vinculação de sua imagem com a de Bolsonaro. O líder estadunidense, embora republicano, não se considera de extrema-direita muito menos um liberal do ponto de vista econômico.

Para o jornalão paulistano a única semelhança entre Trump e Bolsonaro está na disseminação de fake news:

“Economicamente, porém, há diferenças: Bolsonaro se vende como adepto do liberalismo e tem um guru econômico egresso ultraliberal; já Trump se apoia no nacionalismo e protecionismo.”

Depois de Le Pen, sem trocadilhos, agora é a vez de Trump ‘fugir’ de Bolsonaro.