Corrente pede que eleitores levem um livro na hora de votar

Publicado em 25 outubro, 2018

Em tempos de intolerância e violência eleitoral, uma ideia simples que circula nas redes sociais chama a atenção. É a corrente para que os eleitores levem um livro nas mãos na hora de votar no domingo.

LEIA TAMBÉM: Mapa da violência política registou 133 casos de agressões por apoiadores de Bolsonaro

A campanha circula com as hashtags #MaisLivrosMenosArmas, #LivroSim, #ArmaNão, além das gerais #ProfessorHaddad, #HaddadPresidente e #ViraVoto.

A simbologia do ato é estabelecer uma resistência cultural ao movimento da extrema direita de negar os crimes da ditadura militar.

Bolsonaro e seus assessores já disseram que é preciso rever a bibliografia sobre o golpe e a ditadura de 1964 a 1985.

Veja a seguir o exemplo da deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ):