Bolsonaro quer salas separadas para negros e pobres, diz PT

O site oficial do PT denuncia que, dentre as propostas de Bolsonaro para a educação, está a separação de salas para negros e pobres.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro promete marcha à ré de 50 anos no Brasil

“Bolsonaro é inimigo das cotas raciais e sociais. Sempre que teve oportunidade ele deixou isso claro para o Brasil. Por isso, o general Aléssio Ribeiro Souto, assessor do candidato do PSL para a Educação, quer substituir a política de cotas por aulas de reforço para alunos negros e pobres. Em outras palavras, eles querem instituir salas de aulas separadas para esses estudantes”, diz a página oficial do partido de Fernando Haddad.

O general em tela é cotado para o Ministério da Educação, segundo os bastidores do PSL. Ele também propõe uma ‘repressão democrática’ dentro das escolas e universidades brasileiras.

Souto disse que é preciso retirar a ‘ideologia’ dos livros para revelar a ‘verdade sobre 64’. Para o general, a ditadura militar foi um movimento de “liberdade, coragem e ética” para impedir que fosse instituída a uma “ditadura do proletariado”.

Comentários encerrados.