Acadêmicos alemães veem democracia e direitos humanos em risco no Brasil

Cerca de 40 acadêmicos alemães divulgaram hoje (22) um manifesto alertando sobre os riscos à democracia e aos direitos humanos no Brasil caso Jair Bolsonaro (PSL) se torne o presidente da República.

“Aprendemos, dolorosamente, com a história europeia e, em especial, com a história alemã, que a apologia da tortura e da violência e o desrespeito a concidadãos e minorias jamais serão solução para crises econômicas e políticas”, diz trecho do manifesto.

Entre os que assinam o documento estão o filósofo e sociólogo Axel Honneth, professor nas universidades de Frankfurt e Columbia, nos Estados Unidos; o sociólogo Claus Offe, da Hertie School of Governance, em Berlim; Stephan Lessenich, ex-presidente da Associação Alemã para Sociologia (DGS) e atualmente na Universidade Ludwig Maximilian de Munique; Barbara Potthast, da Universidade de Colônia; e a economista Barbara Fritz, da Universidade Livre de Berlim.

Os acadêmicos pedem para que o Judiciário brasileiro defenda os direitos humanos e a democracia e puna aqueles que violam esses princípios com palavras ou atos.

Por fim, clamam para que as forças democráticas no Brasil não fiquem omissas diante da onda de ódio e violência que tomou conta do país.

Com informações da DW

Comentários encerrados.