1,5 milhão de gays e lésbicas gritam #EleNão no Rio de Janeiro