Requião chama de “idiotas” candidatos neoliberais à Presidência

O senador Roberto Requião (MDB-PR), que já possui licença poética, chamou de “idiotas” os candidatos à Presidência da República que falam em reduzir gastos públicos para esvaziar a crise econômica.

“Esta conversa de reduzir gastos públicos, lembra aquele cara que progressivamente reduz sua alimentação, por economia, até zerar o custo, MORREU DE INANIÇÃO. MORREU DE FOME. IDIOTAS!”, criticou.

Requião advoga a tese do desenvolvimentismo, qual seja, o Estado tem o papel de induzir a economia e a geração de empregos.

Já os financistas, que o senador classifica de “idiotas”, defendem a premissa do superávit primário para garantir as contas públicas no azul (para pagar os juros da dívida interna, leia-se de interesse dos banqueiros).

Por esta perspectiva financista, de cortar gastos públicos, Michel Temer e os neoliberais congelaram pelos próximos 20 anos investimentos em saúde e educação — como se a população também permanecesse estática até o ano de 2038.

Mais uma vez, Requião tem razão. Tem muito candidato idiota por aí.