Lava jato perde o cérebro da operação anti-PT

Estranhamente, o procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima pediu demissão da força-tarefa da lava jato, em Curitiba, confirmou nesta quarta (19) o Ministério Público Federal.

Santos Lima, 54 anos, se aposenta somente no ano que vem mas deixou a lava jato — segundo o demissionário — para se manter afastado de “informações sensíveis” operação comandada pelo juiz Sérgio Moro.

O procurador deixou a lava jato, mas continuará atuando na Procuradoria Regional da República, em São Paulo, no âmbito do TRF, até a aposentadoria.

Carlos Fernando dos Santos Lima era tido como o principal ideólogo da lava jato. Sem o procurador, tido como o cérebro da repressão aos petistas, a força-tarefa fica manca.

De acordo com o culto à personalidade promovido pelo marketing, o lavajatismo era fruto do empenho de Santos Lima, Sérgio Moro e Deltan Dallagnol.

Comentários encerrados.