Por Esmael Morais

Bolsonaro enquadra vice, o general Mourão

Publicado em 27/09/2018

No Brasil tudo é possível. Candidato que nem vai ao 2º turno, vence ‘em pesquisa’ quem está em primeiro lugar; capitão enquadra general; ‘cafetão se apaixona pela prostituta e o traficante se vicia’, completaria o saudoso Tim Maia.

Feito este introito, o presidenciável-ex-capitão Jair Bolsonaro desautorizou as declarações de seu vice general Mourão acerca do fim do 13º salário e do adicional de férias.

“O 13° salário do trabalhador está previsto no art. 7° da Constituição em capítulo das cláusulas pétreas (não passível de ser suprimido sequer por proposta de emenda à Constituição). Criticá-lo, além de uma ofensa à quem trabalha, confessa desconhecer a Constituição”, fuzilou o “Coiso”.

Pois bem, para completar o quadro Brasil surreal, além de o rabo balançar o cachorro, Bolsonaro proibiu o vice general Mourão de fazer campanha pública até dia 7 de outubro. Impôs-lhe censura.

Psiuuuu!