1,5 milhão de gays e lésbicas gritam #EleNão no Rio de Janeiro

O k-suco ferveu este domingo (30) para o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). Cerca de 1,5 milhão de pessoas que tomaram Copacabana, no Rio de Janeiro, repetiram o grito de ontem #EleNão na 23ª parada do Orgulho LGBTI.

LEIA TAMBÉM
#SomosBolsonaro17 faz manifestações esvaziadas

Embora a massa esteja mais radicalizada, a organização do evento suaviza o tom crítico do movimento de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais contra Bolsonaro.

“Independentemente de quem ganhar essas eleições, precisamos ter diálogo com todos. Nós não queremos destruir famílias, queremos respeito”, explicou Tony Reis, presidente da Aliança Nacional LGBTI.

LEIA TAMBÉM
Em carta inédita, Lula pede para militância eleger Haddad

O presidente do Grupo Arco-Íris, Almir França, destacou a importância do voto nesta eleição presidencial porque, segundo ele, o Brasil vive uma época de atraso intelectual, em pleno ano de 2018.

Neste sábado (29), em 26 estados e no Distrito Federal, organizações de mulheres foram às ruas sob o slogan #EleNão contra retrocessos de uma virtual vitória eleitoral de Jair Bolsonaro. O evento de ontem foi complementar ao de hoje, e vice-versa.

Comentários encerrados.