Lula e Richa, condenados na 2ª instância, têm direito à candidatura

O Ministério Público Eleitoral (MPE) pediu ontem (22) a impugnação da candidatura do ex-governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), que concorrerá ao Senado. O tucano sofreu condenação em 2ª instância, a exemplo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Sem entrar no mérito das condenações de ambos, Richa e Lula têm direito a disputar a eleição de outubro. A presunção da inocência vale para os dois, para todos nós brasileiros, cuja previsão é constitucional (não se trata de privilégio).

LEIA TAMBÉM
Beto Richa fica inelegível, se depender do Ministério Público Eleitoral

A inelegibilidade provisória de que fala o jurista Luiz Fernando Pereira tem validade universal, qual seja, para o petista e para o tucano.

Portanto, não pode o TSE barrar uma candidatura e liberar outra.

Se alguém tem que “limpar” a política é o eleitor, nunca o judiciário que também tem suas sujeiras para tirar debaixo do tapete.