Estadão se contorce para defender Alckmin

O Estadão pode ser derrotado nas urnas por Lula e Bolsonaro. Sua torcida — e do consórcio jurídico-midiático — por Alckmin parece ser insuficiente.

O colunista Ricardo Cappelli corretamente anteviu o fim deste filme em relação à candidatura tucana: “Geraldo Alckmin será um teste definitivo da televisão” — e para os jornais, eu complementaria.

Em editorial desta quarta, o Estadão aponta o “risco” para a democracia as candidaturas de Lula e de Bolsonaro. Na verdade, o que coloca em risco o Estado Democrático de Direito são a ditadura do capital e da toga.

O Estadão tem desprezo à democracia haja vista que o jornalão, em 2016, apoiou o golpe de Estado que derrubou a presidenta eleita Dilma Rousseff.

Agora, em 2018, o povo deverá restituir a democracia pelo voto. É isto que causa paúra no Estadão, em específico, e na velha mídia, em geral.

Seria mais honesto se o Estadão deixasse o contorcionismo de lado para assumir, em editorial, por que apoia a candidatura de Geraldo Alckmin.

Comentários encerrados.