Tensão na Vigília Lula Livre e cerco à Polícia Federal de Curitiba

A manhã desta segunda-feira (16) começou tensa no bairro Santa Cândida, onde fica o prédio da Polícia Federal de Curitiba. O local que mantém o ex-presidente Lula como preso político há 101 dias amanheceu sob cerco da Vigília Livre. Explica-se abaixo.

A militância e a coordenação da Vigília Lula Livre, que resistem em apoio e solidariedade ao petista, alugaram um terreno em frente a Polícia Federal. A ideia é instalar barracas a poucos metros da carceragem em que Lula é mantido preso ilegalmente.

Por ser um terreno privado, alugado, não tem o Estado como intervir nesta relação lícita entre particulares. Além do mais, a Vigília Lula Livre informa que o aluguel da área visa a atender ‘interdito proibitório’ requerido pela Prefeitura de Curitiba.

O diabo é que a Polícia Militar, que isola manifestantes pró-Lula da PF, está ilegalmente embasando o trânsito até a nova morada dos movimentos populares.

Na tarde de hoje, os advogados da Vigília Lula Livre se encontrará com desembargadores do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) com o intuito de remover os obstáculos policiais, haja vista que a área foi adquirida dentro da legalidade.

A proximidade do terreno alugado é tanta com a Polícia Federal que que Lula seria capaz de ouvir até os espirros da militância que aguarda sua saída para disputar a eleição de outubro.

A estratégia da Vigília Lula Livre é “avermelhar” todo o bairro Santa Cândida.

Comentários encerrados.