Sob Michel Temer, aumenta mortalidade infantil pela 1ª vez em 26 anos

Se na economia o Brasil voltou 40 anos em dois, na saúde o retrocesso é de quase três décadas. Sob Michel Temer e o golpe, a mortalidade infantil teve aumento pela primeira vez em 26 anos.

Desde o longínquo ano de 1990, o Brasil vinha reduzindo a taxa de mortalidade com valores acima da média global recomendada pelo Unicef (Fundo das Nações Unidas). A redução média no país era de 4,9% e o recomendado pela ONU é de 3,2%.

De acordo com o Ministério da Saúde, a taxa de mortalidade de 2016 ficou em 14 óbitos infantis a cada mil nascimentos no Brasil, um aumento próximo de 5% sobre o ano anterior. 

Sob Michel Temer, além de desgraçar a economia, também houve o “resgate” de doenças típicas dos anos 80 como o sarampo.

Portanto, Michel Temer e o golpe são retrocessos. Representam uma marcha à ré na História e na vida de 210 milhões de brasileiros.

Comentários encerrados.