Por Esmael Morais

“Lula teve mais respeito na ditadura que hoje”, diz sindicalista norte-americano

Publicado em 06/07/2018

O sindicalista norte-americano Stanley Gacek, secretário internacional União de Trabalhadores no Comércio e na Indústria de Alimentos dos Estados Unidos e Canadá, afirmou nesta quinta (5), em Curitiba, na Vigília Lula Livre, que Luiz Inácio Lula da Silva foi mais respeitado na ditadura militar que atualmente na ditadura da toga.

LEIA TAMBÉM
Lei da ficha limpa garante registro da candidatura de Lula

Segundo Stanley Gacek, ao comparar a primeira condenação judicial de Lula, na década de 80, com a atual, ele apontou que, em plena ditadura, os direitos de Lula foram mais respeitados do que atualmente.

“Naquele momento, pendentes recursos na Justiça Militar, Lula foi solto e tive o privilégio de acompanhá-lo em assembleias nesse período. Veja a situação agora: Lula é preso político em uma suposta democracia, para impossibilitar as chances de ser eleito presidente da República”, analisou Gacek. “Essa conjuntura tem que ser revertida, temos que lutar contra isso. É o que estou fazendo. Estou instando a comunidade internacional sindical a isso”, completou.

Assista ao vídeo: