Por editor

Após descumprirem ordem de libertar Lula duas vezes, policiais federais recebem solidariedade de colegas

Publicado em 10/07/2018

O Sindicato dos Delegados de Polícia Federal do Estado de São Paulo (SINDPF-SP) emitiu uma nota em defesa dos colegas da PF de Curitiba, que descumpriram o Habeas Corpus do ex-presidente Lula duas vezes. A atitude dos “carcereiros” da PF articulados com o juiz Sérgio Moro expõe o partidarismo da Justiça Federal de Curitiba. Justamente o partidarismo que o SINDPF-SP se apressou em negar.

LEIA TAMBÉM: Lula reconhecido como preso político pela Fundação Internacional de Direitos Humanos

Na nota, o SINDPF-SP afirma que a Polícia Federal ‘”é uma Polícia de Estado, não tem cor, nem partido e exerce seu papel constitucional com equilíbrio, moderação e responsabilidade.”

Eles classificam como “cautela e prudência” a negativa de cumprimento do alvará de soltura emitido pelo desembargador Rogério Favreto, como se coubesse à Polícia Federal analisar e decidir quais decisões judiciais devem ou não ser cumpridas.

O atraso proposital da Polícia Federal de Curitiba proporcionou tempo para que o presidente do Tribunal Regional Federal da 4a Região, Thompson Flores, fosse acionado e cassasse o Habeas Corpus concedido a Lula.