Tocantins manda recado para a esquerda brasileira

Os candidatos do campo da esquerda somaram 47% na eleição suplementar do Tocantins, neste domingo (3), mas, como estavam fragmentados, nenhum dos três avançou para o segundo turno que será disputado entre Mauro Carlesse (PHS), que obteve 30,31%, e Vicentinho Alves (PR), que fez 22,22% dos votos.

Carlesse e Vicentinho irão disputar a segunda etapa eleitoral no próximo dia 24 de junho e o eleito ficará no cargo só até o fim deste ano.

As candidaturas de esquerda foram representadas por Carlos Amastha (PSB), que quase chegou ao segundo turno com 21,41% dos votos. A senadora Kátia Abreu (PDT) angariou 15,66% dos votos e Márlon Reis (Rede) chegou a 9,91% dos votos.

Foi claro o recado vindo do Tocantins para a esquerda brasileira: ‘Divida-se e perderá a eleição presidencial de outubro! Nenhum do campo irá para o segundo turno, que será disputado por dois candidatos de direita’.

Brancos e nulos somaram 19,19% dos eleitores.

A eleição suplementar foi convocada após a cassação do ex-governador Marcelo Miranda (MDB) e da vice dele, Cláudia Lelis (PV). Os dois foram considerados culpados por captação ilegal de recursos para a campanha eleitoral de 2014 pelo Tribunal Superior Eleitoral.