Por Esmael Morais

Sérgio Moro, o vice-rei do Brasil

Publicado em 05/06/2018

Em Nova Iorque, Sérgio Moro teve festa bancada pela Petrobras.

A Folha conta no “Painel” que o juiz Sérgio Moro foi recebido com honrarias no principado de Mônaco, onde ele foi homenageado por brasileiros. Cada convite para participar do evento custou mil euros (R$ 4.500,00).

No exterior, devido a badalação com tucanos, Moro é considerado vice-rei. Os estrangeiros acreditam que o Brasil ainda é uma monarquia (a proclamação da República ocorreu em 1889) e os barões da mídia fazem parte da realeza.

No mês passado, em Nova Iorque, o vice-rei do Brasil, isto é, o juiz da lava jato foi homenageado por um grupo de lobistas liderados pelo tucano João Doria (Lide Global).

Abaixo, o registro da Folha:

De excelência a alteza
Homenageado na quarta edição do Brasil Mônaco Project, no último fim de semana, Sergio Moro foi recebido com honrarias no principado. O juiz assistiu a um concerto no camarote real da Opera Garnier, no cassino Monte Carlo, ao lado do príncipe Albert 2º. Depois, participou de jantar e prestigiou um leilão beneficente. O evento tem o apoio da realeza e já reverenciou personalidades como o ex-jogador Ronaldo. Convites para participar do ato foram vendidos por €1.000,00.

Dona da festa
A organizadora do evento é Luciana de Montigny, mulher do cônsul de Mônaco. Um vídeo com detalhes da noite de homenagem a Moro foi postado nas redes sociais. Segundo convidados, os recursos arrecadados seriam destinados a uma fundação chamada “Butterfly”.